FINANCAS PESSOAIS

Finanças Pessoais – Guia Definitivo!

20 de agosto de 2018 2 Por Marlon Moro

FINANÇAS PESSOAIS Feito para iniciantes

Nesta página você irá encontrar tudo o que você precisa saber para entender à fundo o que são as famosas “Finanças Pessoais“.

Este termo está cada vez mais comum aos brasileiros e isto de fato é muito bom!

Porém é importante lembrar que, no nosso país, falta uma base mais sólida na educação para que possamos aprender desde criança, evitando passar por muitas dificuldades e armadilhas que hoje nos cercam.

Principalmente para quem sonha em comprar um imóvel é necessário planejamento e comprometimento.

Gostaria de iniciar com essa frase que vai começar a mudar seu conceito em relação à sua vida financeira.

“O dinheiro, assim como as emoções, é algo que você precisa controlar para manter sua vida no caminho certo” – Natasha Munson

GUIA DEFINITIVO de FINANÇAS

Veja tudo que você vai aprender com este guia abaixo:

GUIA FINANCAS PESSOAIS

Este guia foi feito para quem:

  • Não sabe exatamente quanto gasta, só quanto ganha
  • Está com dificuldades financeiras
  • Não consegue guardar dinheiro no final do mês 
  • Apenas paga contas e não investe nada
  • Sonha em comprar seu imóvel mas não tem condições

Se você se encaixa em uma das situações acima, então você veio ao lugar certo.

Então, seja bem-vindo, e vamos começar!

1) Por que devo saber sobre finanças pessoais?

Por que financas pessoais

Inicialmente é importante lembrar que o Brasil é um país que não trata a Educação Financeira da forma que deveria.

Não surpreso, vemos repetidamente notícias como esta:

”Pesquisa revela que 58% dos brasileiros não se dedicam às próprias finanças” – Pesquisa  Arquivo/Agência Brasil

Ou seja, 6 em cada 10 brasileiros não param se quer para avaliar como estão seus gastos e ganhos, quanto eles possuem de endividamento ou patrimônio e sequer se planejam para o futuro.

Este estudo é feito pelo SPC (Serviço de Proteção de Crédito), conhecido de perto por muitos brasileiros que estão com o nome sujo, infelizmente!

Acredito que a culpa e o motivo inicial para esse problema é a falta de educação desde o ensino fundamental.

Isto porque temas como “Finanças” e “Contabilidade” só são vistos em Faculdades e muitas vezes apenas em cursos específicos da área.

Isso na verdade é uma inversão de valores.

Se os Brasileiros soubessem aproveitar melhor o seu dinheiro, gerariam mais riqueza/investimento, tendo uma condição financeira e de vida melhor.

Por consequência teriam mais dinheiro para gastar com seus projetos pessoais e profissionais.

É lógico que os bancos não ficariam felizes com isto, pois ganham fortunas em cima de pessoas endividadas especialmente pela falta de planejamento.

E este é um dos motivos pelo qual ter uma Gestão das suas Finanças Pessoais é tão importante!

Se você quer ter uma vida financeiramente saudável você tem que primeiramente ter Disciplina e buscar o Equilíbrio.

Porém isto não é tão difícil como parece. 

Hoje a tecnologia nos ajuda e muito a gerenciar estas tarefas de formas práticas e efetivas, conforme vamos falar à frente.

Segundo a mesma pesquisa feita pela Arquivo/Agência Brasil, 56% dos consumidores ouvidos no levantamento disseram que se sentem melhor quando planejam as despesas para os próximos seis meses.

O planejamento financeiro pode ser eventualmente considerado um fator de felicidade, pois planejar-se corretamente pode trazer seus sonhos materiais e financeiros para sua realidade. 

Guia Finanças Pessoais
Concluído 10%

2) Os 4 Maiores Mitos sobre Finanças

Mitos sobre financas pessoais

Vamos falar um pouco sobre os MITOS sobre as finanças que muitas vezes são levados em consideração por falta de conhecimento.

a)  Finanças é so para quem tem conhecimento

Esse Guia foi feito pelo propósito de simplificar e desmistificar esta questão.

Muitas pessoas acreditam que há uma enorme dificuldade em gerenciar suas finanças pessoais, simplesmente por achar que é complicado ou por não ser mestre da matemática.

A realidade é que você precisa criar e definir quais são suas metas e planejamentos e seguir elas à risca.

Assim você conquistará seus objetivos se respeitar sua saúde financeira.

b) Nunca utilize seu cartão de crédito

Ao contrário do que muita gente pensa, o cartão de crédito não é seu inimigo número 1.

Claro que os juros rotativos do cartão de crédito são um dos maiores do mundo e você nunca deve deixar de pagá-lo.

Mas vamos ver um exemplo abaixo:

Vamos supor que é dia 25 e surgiu um imprevisto em que você teve que utilizar  sua reserva de emergência e acabou gastando todo o seu salário do mês.

Como você vai fazer ?

Se você precisar comprar algo ( que não seja futilidade ), você pode passar a compra no seu cartão de crédito e sempre definir o vencimento depois do recebimento do seu pagamento.

Assim você não deixa de comprar aquilo que você necessita e “adianta” este valor pelo cartão de crédito.

É importante que seja estipulado um valor de gasto mensal deste cartão e um valor máximo que você pode pagar dessas “parcelas”, considerando é claro o poder de compra que você tem atualmente.

Lembrando: Se você parcela diversas compras em várias vezes e principalmente se com juros, está fazendo errado!

Isso sim é um grande prejuízo para você, mas fique tranquilo que falaremos disto mais à frente.

Um dos maiores problemas do cartão de crédito são as compras compulsivas e impensadas.

Faça do seu dinheiro gasto unica e exclusivamente com o que você vai precisar, sem “torrar” tudo com coisas que não são necessárias.

E o mais importante: SEMPRE PAGUE O TOTAL DA SUA FATURA! 

c) Só dá para guardar o que sobra

Se você tiver um planejamento e seguir suas metas à risca, saberá quais serão seus custos, ganhos e até quanto poderá investir.

Ao receber seus rendimentos é importante que defina quais valores vão para quais compromissos.

O valor da sua receita deve ser dividido entre despesas, contas fixas, lazer e investimentos.

Quando se faz este cálculo corretamente você já definiu qual valor será de investimento, então não guardará apenas o que sobra e sim o que foi definido no planejamento inicial.

d) Dinheiro só vem com o tempo

Uma das maiores mudanças que podem ser feitas para sua independência financeira é a mudança do seu MINDSET.

Mindset nada mais é que a forma de pensar.

Tendo um pensamento de alguem que já foi rico, você cria nas suas atitudes formas de chegar ao seu objetivo e isto é muito benéfico.

Essa mentalidade de que o dinheiro só vem com o tempo é um grande mito. Dizem que quem trabalha o tempo todo não tem tempo de ganhar dinheiro.

E isto é verdade.

Devemos entender que, se investirmos de forma correta, poderemos fazer com que o dinheiro trabalhe para gente com os investimentos corretos.

Guia Finanças Pessoais
Concluído 20%
Maiores dificuldades financas pessoais

a) Disciplina

Com certeza uma das maiores dificuldades mais comuns quando falamos em educação financeira.

Todos nós suamos tanto para ganhar nosso suado dinheirinho que tem horas que pensamos “Eu mereço comprar isso, eu trabalho tanto!”

Isso é uma forma de recompensa emocional que normalmente traz problemas à saúde da conta bancária da pessoa.

Isso porque se começarmos a criar pretextos para gastar mais que podemos isso pode virar uma grande bola de neve e acabar com qualquer tipo de planejamento.

Ou seja, em qualquer área a disciplina é a matéria mais importante.

b) Mensurar todos os gastos corretamente

É comum que ao perguntar qual será o gasto de uma pessoa no mês ela não saiba.

Isso porque existem vários gastos que, na cabeça dela são pequenos, na somatória representarão uma grande quantia no seu mês.

Uma das grandes dificuldades é mudar o pensamento e a postura em relação a isto.

É importante que se dê o verdadeiro valor e peso para todas as contas do seu dia a dia.

c) Não depender do seu salário apenas

Um dos “pulos do gato” na educação financeira é saber que quando se tem dinheiro você pode fazer ele trabalhar para você.

Isso significa que se você tem alguma sobra mensal que pode ser colocada em um investimento, fora o que foi projetado inicialmente, invista de maneira consciente!

O que é muito comum para quem começa a aprender educação financeira é, apartir do momento que define as metas, não faz nenhum esforço extra para investir um eventual dinheiro que sobra.

É importante manter a mentalidade de gerar novas fontes de renda com esses valores que entram, pois assim você não fica preso apenas ao seu salário.

d) Qual conta cortar do meu orçamento ?

É importante que para responder esta pergunta você faça uma lista de prioridades em que consiga entender o que é importante ou não no seu dia a dia

Por quantas e quantas vezes você não se pegou tendo que pagar por uma coisa que você nem usa? Ou nem lembra que tinha assinado?

Provavelmente quando você fizer as contas verá que isso é muito mais frustrante do que você imagina!

Saiba analisar e escolher quais dos custos você já tem que podem ser evitados do seu orçamento para ter um respiro financeiro no seu mês.

e) Sobrou dinheiro, vou gastar tudo

Um erro muito comum para quem está começando a gerir suas finanças pessoais é criar seu planejamento e, ao sobrar qualquer valor fora do planejado,  gastar tudo sem pensar.

Naquele mês que você teve um dinheiro extra, inesperado, você não deve sair gastando com futilidades, mesmo que já tenha comprometido todo o seu planejamento proposto.

Se sobrar algum valor que não estava esperando gaste com o que te faz feliz, mas pense que pode ser um valor a mais para investir e obter rendimento.

Guia Finanças Pessoais
Concluído 30%
Começando as finanças pessoais

Fico feliz que chegou até aqui! Chegou a hora que você tanto esperava!

Antes de começarmos é importante que você entenda que todas as dificuldades, mudanças e regras que colocaremos à partir de agora vão lhe garantir atingir os objetivos que sempre almejou.

Por isto vamos definir alguns tópicos importantes para você que quer começar hoje!

Mude seu pensamento

O primeiro passo para mudar as atitudes é mudar seu pensamento. Isto faz com que todas as nossas atitudes se façam em pró de um objetivo. 

Assim sendo, entender que esse passo vai mudar seu futuro e vai trazer o que você deseja vale todo o esforço que aqui será feito.

Acredito que é importante relacionar seu Objetivo a algo com propósito e não apenas “ficar rico”.

O propósito é o que nos faz focar em algo maior e, mesmo diante das dificuldades, sempre seguimos em busca dele.

A riqueza significa prosperidade e abundância, então prepare o seu mental para poder receber os frutos do seu esforço.

a) Saiba quanto você gasta ( Definição dos custos)

Veja a sua vida financeira como um todo.

Faça uma análise de todos os seus gastos diários e mensais para entender exatamente quanto você utiliza de recursos para manter o seu padrão de vida.

Vamos separar as contas como Fixas e Variáveis.

As contas Fixas são aquelas que não mudam de acordo com o consumo.

Ou seja, aluguel, pensão, empréstimos, escola, condomínio, plano de saúde, etc.

Já as contas variáveis são aquelas em que você tem um valor diferente de acordo com o seu consumo.

Por exemplo, água, luz, gás, lazer, entre outras.

É bom que você controle isso com um aplicativo ou uma planilha, pois a visualização fica mais fácil.

b) Saiba quanto você ganha

Neste próximo passo você vai anotar em um planilha todas as receitas, ou seja, tudo aquilo que você recebe.

Nesta lista estão inclusos: Salário, pensão, benefícios sociais, rendimentos de aplicações, aluguel, etc.


c) Faça um balanço

É hora de fazer um balanço entre os seus gastos e seus ganhos.

Nessa hora você irá perceber que gasta muito do seu precioso dinheiro com coisas que até então nem imaginava.
E aqueles centavos que não tinham muito valor, aquelas moedinhas, somam uma quantia significativa no seu mês.

Então, caso você gaste mais do que ganha é hora de começar a cortar os gastos estabelecendo uma escala de prioridade.

Nesta escala, você deve definir quais itens são mais importantes e que devem ser mantidos nos seus gastos, como saúde, aluguel, e o que pode ser cortado como, por exemplo, comer fora todos os dias.

É obvio que você não deixará de pagar a escola do seu filho para tomar uma cerveja de final de semana.

Gastos supérfulos devem ser desconsiderados.

Para que você conquiste esta “mordomia” você tem que aumentar sua receita a fim de que seja possível gastar um pouco mais com você.

É tudo uma questão de equilíbrio entre Receita (O que recebe ) X Custos (O quanto gasta).

d) Defina uma quantia de Emergência

Sabe aquele mês em que você pensava que iria sobrar um dinheirinho mas aconteceu aquele imprevisto que complicou sua situação?

Você ficou doente e teve que gastar R$ 200,00 a mais com remédio e ficou com o orçamento comprometido?

Calma, é para isso que existe a quantia de Emergência.

Ela tem que ser definida por um percentual do seu salário mensal para qualquer tipo de imprevisto que venha acontecer.

O ideal é que você consiga criar uma reserva de emergência de aproximadamente 10 vezes o valor da sua renda. 

Como assim ? 

Calma! 

Se você definir mensalmente um percentual, vai juntando os valores para esse fundo de reserva mês a mês.

Assim sendo, ao atingir o valor médio de 10 vezes sua renda poderá começar a investir seu próprio dinheiro.

e) Acabe com suas dívidas

É muito comum as pessoas que não se preocuparam até hoje com finanças pessoais terem muitas dívidas.

Aqueles empréstimos com parcelas baixíssimas, quando somadas, muitas vezes representam uma enorme parcela do seu ganho mensal.

Isso pode ser um grande problema, principalmente dependendo da quantidade de juros que você paga por eles.

Neste caso, devemos utilizar a portabilidade de dívidas.

Mas o que é isto?

Simples, você analisa todas suas atuais dívidas, seja com financiamento, empréstimo ou qualquer tipo de juros por empréstimo que você esteja pagando e troca por uma outra dívida com menor incidência de juros.

Vamos supor que você tenha um financiamento imobiliário em que você paga 12% ao ano para a instituição financeira. 

E descobre que o banco X está fazendo financiamento bancário com uma taxa de CUSTO EFETIVO TOTAL (CET) de 9%.

Solicite ao novo banco uma simulação da portabilidade de crédito, com o detalhamento dos custos que serão incluídos na composição do novo cálculo, o CET (Custo Efetivo Total), que nada mais é que a soma de todas as despesas que são incluídas nas operações de crédito. 

Importante verificar se não existem tarifas que podem passar despercebidas e possam encarecer sua portabilidade.

Caso compense, você pode solicitar ao seu banco a portabilidade para o de menor taxa.

Assim, você acaba pagando menos juros!

Você deve prestar muita atenção e verificar se a troca da dívida é vantajosa.

Existem créditos que tem custos adicionais que podem ser cobrados.

Por exemplo:

Na transferência do crédito imobiliário normalmente existem novas despesas com o registro de imóveis, custos com a documentação no cartório e a vistoria do imóvel.

O único que vai saber se é realmente viável essa troca é você. 

Certifique-se de todos os custos e calcule se realmente vale a pena essa mudança. 

A idéia principal é que você tenha parcelas menores e pague menos juros.

Por isto, compare o valor da prestação e a taxa de juros para o mesmo período.

Esse mesmo pensamento também vale se você tiver uma dívida de cartão de crédito que não consegue pagar a parcela total. 

Ou se tiver várias dívidas com juros diferentes e que, no final, não consiga fazer a quitação de todas acumulando juros.

Não se desespere!
Em todos os casos você tem uma saída. 

f) Quitando diversas dívidas com um empréstimo

No caso de várias dívidas em credores diferentes é interessante que analise a possibilidade de um empréstimo só para quitar todas elas.

Essa prática é interessante porque ao concentrar todas as dívidas em um só empréstimo você pode reduzir seus gastos com juros e ainda fazer os pagamentos das dívidas anteriores com desconto.

Quando contratar este novo empréstimo, com o valor total das suas dívidas, você receberá tudo em sua conta. 

Depois disso, entre em contato com todos os seus devedores e negocie o pagamento à vista.

Provalvemente lhe gerará um desconto no valor total da dívida e você ficará apenas com uma parcela para pagar.

* Importante lembrar que para pedir esse empréstimo pessoal você deverá ter o nome limpo.

Os passos que ensinei antes já vão lhe ajudar a guardar seu dinheiro e tomar as decisões corretas.

g) Compute todos seus gastos

Conforme falamos antes, saber quanto gasta é essencial para ter uma boa situação financeira.

Por isto, não deixe de utilizar da tecnologia em seu favor.

Existem diversos aplicativos em que você pode computar, no mesmo momento, todos seus gastos e ainda gerar uma previsão de custos mensal.

O controle é muito importante em todos os momentos.

Depois de todos esses passos, chegou a hora de você fazer sua projeção para 6 meses de gastos, ganhos e investimentos.

Lembrando que você só deve pensar em investir quanto tiver quitado todas suas dívidas e tiver garantido também seu dinheiro de reserva emergencial.

Se você quiser saber mais sobre o começo de um investimento, veja esse POST de COMO COMEÇAR A INVESTIR EM 5 PASSOS.

Guia Finanças Pessoais
Concluído 40%
Despesas profissionais e pessoais

Esta questão é específica para quem é Empreendedor ou possui um negócio próprio.

Muitos negócios fecham por falta de controle financeiro. 

Imagine você, alguem que não tenha ideia do cálculo das suas finanças pessoais gerir uma empresa. 

Se você não sabe se sua empresa está lucrando, como você pode continuar investindo nesse negócio?

As possibilidades de dar errado são grandes, não é?

É importante que exista um planejamento financeiro da sua vida pessoal e outro da sua vida profissional. 

Assim, além de antecipar problemas de gastos maiores que as receitas, você ainda evita problemas com a Receita Federal.

Por isto, deixo algumas dicas para evitar problemas como este.

a) Tenha contas Separadas (Física e Jurídica)

É muito importante separar as contas pessoais das contas da sua empresa.

Isso porque da mesma forma que é feito um planejamento de Gastos, Receitas e Investimentos na sua conta pessoal, deve também ser feito na sua conta Profissional.

Com contas separadas você:

  • Facilita a identificação de lançamentos
  • Não deixa de pagar uma conta por pessoal, por exemplo, por excesso de gasto da empresa (e vice-versa).
  • Não mistura os limites de crédito da Empresa para pagamento de contas Pessoais, por exemplo.
  • Faz com que o volume na movimentação de Pessoa física seja compatível as suas receitas mensais, evitando problemas com a Receita.
  • Evita confusão na conferência dos pagamentos, valores, receitas, etc.

b) Defina as Retiradas

É importante também definir previamente na sua empresa qual serão as retiradas, seja entre os sócios ou apenas você. 

Se você não determina os valores que irá ter de “Salário” pode ser que, no mês que estiver apertado, acabe retirando mais do que precisa e comprometendo sua gestão financeira.

*Utilize um bom Software de Gestão financeira que irá ajudar muito nesta definição também!

c) Crie uma reserva de Emergência

Assim como no pessoal, é importante que exista uma reserva de Emergência para sua empresa. 

Isso evita comprometer a atuação da sua empresa, de forma negativa, sobre algum eventual gasto que não foi previamente calculado.

Guia Finanças Pessoais
Concluído 50%
Juros finanças pessoais

Trouxe este item em nosso guia para uma maior conscientização de como, se agirmos da maneira correta, podemos reverter uma situação negativa para uma situação positiva.

Se você já deixou de pagar alguma conta no dia e havia multa e juros pelo não pagamento, vai entender o que estou falando.

Vamos supor que você não tenha o valor total para pagar um cartão de crédito que vence dia 10.

Você não se planejou, o dinheiro acabou e você só pode pagar o mínimo.

Antes de mais nada, os juros do cartão de crédito Brasileiro são os maiores do mundo. 

Mesmo com as recentes reduções, ainda gira em torno de 243% ao ano quando se faz o pagamento mínimo.

Isto piora se não é feito nenhum tipo de pagamento, chegando em torno de 346% ao ano.

Lembre-se que os juros calculados são COMPOSTOS. Ou seja, juros sobre juros.

Para exemplificar:

Vamos supor que você tenha uma conta de cartão de crédito de R$ 1.000,00 reais e pague o mínimo de por exemplo: R$ 100,00.

Neste caso, falta o pagamento de R$ 900,00 que será adicionado juros ao longo do período até a próxima fatura.

Vamos imaginar que os juros são de 243 % ao ano, dividindo isto por 360 dias = 0.675 % ao dia de juros.

No primeiro dia a conta feita é:

R$ 900,00 (Valor em aberto) X 0.675% = R$ 906.07

No segundo dia o juros de 0.675% incidirá sobre o valor de R$ 906.07 e não sobre os R$ 900,00 anteriores. 

Isso representa o Juros Composto que pode destruir qualquer planejamento financeiro.

Agora vamos pensar isto para o lado bom!

Se você fez o seu planejamento, calculou quanto gasta, quanto recebe, fez sua reserva de emergência e cortou custos desnecessários, chegou o seu momento!

Imagine que todos os meses você consiga investir R$ 150 reais, pois agora você tem um gerenciamento financeiro saudável.

A cada dia em que seu dinheiro estiver rendendo você terá a mesma ação dos Juros compostos em seu investimento.

A cada dia o valor dos juros será acrescentado aos ganhos diários que você terá.

Lembrando que isto não é um Guia de Investimento, mas trazemos esta questão para você que quer obter sua independência financeira.

Atue com inteligência e faça seu dinheiro trabalhar para você!

Guia Finanças Pessoais
Concluído 60%
Dolar impacta sua vida

Este tema eu trouxe para que você entenda a relação direta que a moeda estrangeira tem em relação à sua vida.

Não é só porque você não vai viajar que não será impactado.

Em época de eleição, é importante que saibamos quem iremos colocar no poder.

As medidas políticas podem melhorar ou piorar nossa vida, depende as decisões tomadas.
Por isto, pesquise sobre as intenções econômicas do seu candidato antes de votar.

Voltando ao assunto, uma das moedas que maior tem poder mundialmente é o Dolar e por isto ele é utilizado como referência também em nosso mercado interno e externo.

Câmbio muda diariamente

Desde 1999, o Brasil se tornou uma Economia de Câmbio Flutuante.

Em uma explicação simples, isto siginifica que o Governo não tem poder sobre a definição do Real em relação as outras moedas. 

O que define isto é a Lei da Oferta e da Demanda. 

Existem diversas variáveis que podem alterar a cotação do dólar, como as negociações entre importadores, exportadores, investidores internos e externos, os gastos do turismo, entre outros.

Quando a situação aperta muito o Governo tenta controlar os preços do Dolar através do Leilão de compra e venda de Dolar.

E por que preciso saber disto?

Atualmente o valor do dolar acima de R$ 4 reais e isso significa diretamente na redução do seu poder de compra.

Isso porque, mesmo tendo muitas coisas sendo produzidas aqui no país, existe muita matéria prima importada que impacta no preço final.

Um bom exemplo mais prático é o aumento da Gasolina, do pãozinho na padaria, do seu leite.

O brasil é autosuficiente na produção do petróleo, mas não em seu refinamento.

Por esse motivo o valor aumenta com o aumento do dolar.

Tudo que tiver alguma relação com produtos estrangeiros, seja na fabricação ou mesmo na produção, terá impacto final no valor do produto para você.

O valor do produto final, que você vê no mercado, já está incluso todos os custos dessa cadeia de produção.

Se um aumenta, o valor como um todo sobe e você paga a mais por isso.

Quando os produtos de fora estão mais caros, o mercado interno também aumenta o preço para equivaler as ofertas. 

Ou seja, em um contexto geral tudo sobe.

Se você, por exemplo, fez uma compra no cartão de crédito no exterior – Além do custo de 6,38% de IOF, o aumento do dólar faz com que o gasto seja bastante aumentado.

Tome cuidado com isto, evite compras no seu cartão sem antes calcular o valor da moeda em que estiver fazendo o pagamento. 

Guia Finanças Pessoais
Concluído 70%
Comprar ou alugar imovel

Uma das partes mais importantes deste guia é esta. 

Você já sabe se planejar! Você tem idéia de quanto vai conseguir guardar por mês.

Será que pode reduzir seus custos ainda mais?

A resposta provavelmente é SIM !

Primeiramente é importante entender sua necessidade e sua atual situação financeira.

Se você quer comprar um Apartamento e tem o valor à vista, não existe segredo:

NEGOCIE!

Você está certamente em uma posição favorável, pois o mercado tem muita oferta e você pode negociar de forma muito mais efetiva os valores de compra.

Se fez seu planejamento de forma correta, obterá grande vantagem na hora de ser um Proprietário.

Mas vamos supor que você não tem todo o valor à vista para sua compra, o que fazer?

Opção a) Compra Financiada

Primeiramente devemos ter em mente que quanto maior o valor você tiver de Entrada, menor a ocorrência de juros.

Principalmente se estamos falando de imóveis, que são bens de alto valor, é essencial que se faça um diagnóstico de quando vale apena comprar, alugar ou até mesmo investir para renda.

Vamos a um exemplo real.

Vamos supor que a sua família aumentou e você quer comprar um imóvel maior. 

Você não tem nenhum imóvel e tem o valor em mãos de R$ 100 mil reais.

O imóvel que você deseja comprar está avaliado em R$ 500 mil reais.

Atualmente os percentuais de financiamento estão em torno de 80 % do valor do Imóvel. 

Ou seja, neste caso você deve ter em mãos pelo menos R$ 100 mil reais de entrada.

Muito bom, você tem o valor de entrada!

Vai comprar agora?

Calma! Vamos analisar:

Você vai comprar um imóvel de R$ 500 mil, dar R$ 100 mil de entrada e financiar R$ 400 mil em sistema SAC.

Aqui utilizamos a Entrada de R$ 100 mil reais em um imóvel avaliado em R$ 500 mil com o prazo de 360 meses.

Finanças Pessoais
A parte mais importante é analisar qual será o Custo Efetivo Total, neste caso 9,57% ao ano.

Não entraremos em detalhe como isto é calculado, porém devemos considerar esta taxa de juros anual.

*Lembrando que você deve ter uma parcela comprometendo no máximo 35% da sua renda, caso contrário não será aprovado

Em 30 anos você pagará R$ 975.795,00 e obterá um bem que até lá pode estar valorizado ou desvalorizado, depende da sua compra.

Existem técnicas para reduzir esse custo total que falaremos em outra oportunidade.

Também existe a opção de PERMUTA que é bem utilizada.

As parcelas desse financiamento começariam em R$ 4.301,00, conforme vemos abaixo:

Financas PessoaisSe você observar os pagamentos são decrescentes a cada parcela, o valor de amortização é sempre igual e os juros vão decrescendo também. 

Neste caso utilizamos o modelo SAC (Sistema de Amortização constante).

Você estará amortizando, fora o valor da parcela, R$ 1.111,11 em qualquer momento deste financiamento.

Se dividirmos o valor total pago de R$ 975.795,00 pelo prazo de 360 meses, temos um valor de parcela média de R$ 2.710.51.

Opção b) Pensando no Aluguel 

Você teria os mesmos 100 mil que deu de entrada no financiamento aplicados.

Vamos supor que você consiga um rendimento de juros de 6% ao ano. (Mais ou menos um rendimento de poupança)

E você deixaria esse valor investido por 3 anos, colocando apenas o valor que sobra para investir no seu aluguel.

Antes tinhamos uma parcela de R$ 4.301,00 no financiamento. 

Agora vamos optar por alugar um apartamento e investir o restante.

Valor da parcela do financiamento era R$ 4.301.
Iremos deduzir o valor do aluguel  de um imóvel avaliado em R$ 500 mil reais (Atualmente o aluguel é em média 0.5% do valor do imóvel).

Neste caso você alugaria um imóvel por R$ 2.500,00.

Então teríamos:

R$ 4.301,000 – R$ 2.500,00 = R$ 1.801,00 – a amortização do financiamento (R$ 1.111,11) = R$ 690,00

Em resumo:

Você em vez de comprar financiado, aluga um imóvel, desconta o valor do aluguel e da amortização das parcelas do financiamento e ainda sobra R$ 690 reais.

Este valor será investido a 0.5% ao mês + os R$ 100 mil que você daria de entrada anteriormente.

Em 3 anos você teria o valor de :

Financas PessoaisValor após 3 anos R$ 146.770,63 aplicando R$ 689 reais mensais.

Ou seja, R$ 21.966,63 reais ganhos em juros compostos e estaria morando em um imóvel alugado do mesmo padrão que queria comprar.

*Lembrando que neste caso existiria incidência de cobrança de IR, que é um valor significativo, mas não iremos entrar neste detalhe.

Se aumentarmos um o prazo deste mesmo investimento para 200 meses, estaremos falando de R$ 506.998,97 reais e a possibilidade de comprar seu imóvel à vista.

Vamos ver o gráfico:

Financas Pessoais

Ganho de juros em 200 meses foi de R$ 269.198,77 aplicando R$ 689 reais mensais.

Observações importantes:

  • Neste exemplo, a tabela SAC é decrescente, ou seja, o valor cai a cada parcela. Isso significa que ao longo do prazo você estará gastando menos que a parcela inicial.
  • Tendo como base este financiamento, na metade do período (parcela 180) você estaria pagando R$ 2.720,00 e ao invés de você investir apenas a diferença de R$ 689,00 , este valor investido aumentaria parcela à parcela.

    Para essa comparação  eu estou considerando uma parcela FIXA de R$ 4.301,00.

– Cálculos feito pela calculadora do Clube dos poupadores.

Moral da história, faça sempre as contas para tomar a melhor decisão.

Vou deixar esta planilha do Guia das Finanças que achei super interessante, você pode colocar os valores da sua parcela e do financiamento para obter o mais vantajoso.

Exemplo da simulação que fiz com os valores acima:

Financas Pessoais

Guia Finanças Pessoais
Concluído 80%

9) Planilhas e Aplicativos Valiosos

Aplicativos de financas pessoais

Agora que já falamos sobre diversos pontos para ajudá-lo a controlar sua vida financeira, vamos às dicas de planilhas e aplicativos para auxiliar no seu dia a dia.

Planilhas

Orçamento Pessoal – BMF BOVESPA

Planilha do Primeiro Milhão – Rafael Seabra

Planilha Orçamento Doméstico – IDEC

Gastos com automóvel – Quero Ficar Rico

Planilha casa própria VS Aluguel – Dinheirama

Aplicativos

Coin KeeperAndroid & Ios

Aplicativo que promete ajudar nas contas de casa. O aplicativo mostra onde você está gastando mais e até envia lembretes sobre contas.

Minhas EconomiasAndroid & iOS

Este aplicativo tem funcionalidades completas para o controle e o planejamento financeiro dos usuários. Permite organização das despesas e da possibilidade de gerenciamento de contas de diversos bancos, investimentos, financiamentos, cartões de crédito e aposentadoria.

Guia BolsoAndroid & Ios

Para quem deseja se livrar das planilhas, o GuiaBolso pode ser uma boa pedida. Além de centralizar o controle de contas bancárias, gastos e renda do usuário, o aplicativo permite a organização das transações em categorias e a sincronização de contas do Banco Santander, Banco Itaú Unibanco, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco Bradesco, Citibank e NuBank. Outros diferenciais interessantes do GuiaBolso são a possibilidade do usuário consultar a situação do seu CPF e buscar empréstimos com taxas mais baixas.

É claro que existem diversos aplicativos no mercado.

Você deve procurar aquele com o qual você mais se identifica.

É importante que ele seja visual e lhe ajude no que você precisa para controlar suas finanças.

 

Mobilis – Android & Ios

Excelente aplicativo de controle financeiro! Atualmente é o app para controle de gastos mais bem avaliado do Brasil na Google Play.

Considerando todas as plataformas, já foi utilizado por mais de 5 milhões de pessoas!

A grande vantagem disso é a sincronização, uma vez que seus dados ficam armazenados na nuvem. Sendo assim, você poderá acessá-los de qualquer dispositivo, controlar suas despesas em tempo real e ter uma visão muito melhor do seu dinheiro, seja no smartphone, tablet, computador ou notebook.

 

*Não recebo nada por essas indicações, são apenas para ajudar você.

Guia Finanças Pessoais
Concluído 90%

10) Conclusão

Conclusão das financas pessoais

Se você leu todo o nosso conteúdo percebeu que o assunto é complexo e não tão simples quanto parece. 

Na verdade existem diversas formas de atingir sua estabilidade e independência financeira.

Obtendo este controle você estará mais perto de alcançar a compra do seu tão sonhado imóvel.

Ressalto que não sou consultor financeiro, apenas trouxe esse conteúdo para ajudar a tirar diversas dúvidas que possam existir num primeiro momento.

Espero que tenha lhe ajudado a obter novos conhecimentos e que estas novas ideias lhe façam tomar decisões corretas à respeito do seu dinheiro.

Caso tenha dúvidas ou observações, deixe nos comentários que terei prazer em ajudar!

PARABÉNS ! VOCÊ CONCLUIU O GUIA DE FINANÇAS PESSOAIS!
CONCLUÍDO 100%